Ano

Tags

, , , , , , , , , ,

Topological Contortion of a Female Figure Becoming a Violoncello - Salvador Dali

“[POEMEU EFEMÉRICO]
Viva o Brasil
Onde o ano inteiro
É primeiro de abril”
(Millôr Fernandes)

***

“Escreva em seu coração que cada dia é o melhor dia do ano.”
(Ralph Waldo Emerson)

***

“A medida do sucesso não é se você teve um grande problema para
lidar este ano, mas se é ou não o mesmo problema  do ano passado.”
(John Foster Dulles)

***

“Esteja em guerra com seus vícios, em paz com seus vizinhos
e que cada novo ano lhe encontre um homem melhor.”
(Benjamin Franklin)

***

“Assim que dominar o uso do tempo você verá como
é verdade que a maioria das pessoas superestimam
o que são capazes de fazer em um ano – e subestimam
o que são capazes de conseguir em uma década!”
(Tony Robbins)

***

“Pedi a Deus que nos desse muita saúde e felicidade;
não pedi coisas demais para não confundir Deus,
que à meia-noite de ano novo está tão ocupado.”
(Clarice Lispector)

***

“Você não aprende na escola o que o mundo vai fazer no ano que vem.”
(Henry Ford)

***

“O tempo não tem divisões que marquem sua passagem,
não existe uma tempestade ou um soar de trombetas que
anunciem um novo ano. Mesmo no início de um século
somos só nós mortais a tocar sinos e soltar fogos.”
(Thomas Mann)

***

“Se todo o ano fosse de férias alegres, divertirmo-nos
tornar-se-ia mais aborrecido do que trabalhar.”
(William Shakespeare)

***

“Atirei-me, pois, metaforicamente, pela janela do
tricentésimo-sexagésimo-quinto andar
do ano passado. Morri? Não. Ressuscitei.”
(Mário Quintana)

 

Fontes: Pensador.info, Brainy Quote
Um ótimo 2013 a todos!

Advertisements

Bagunça Paranormal

Tags

, , , ,

paranormal_activity

Sei que é um pouco tarde para falar de Atividade Paranormal 4, que assisti no cinema no início de novembro, mas como só agora surgiu a oportunidade aí vai:

Um filme de suspense ou terror, ao contrário de hits “pipoca” como Transformers 3 e Vingadores, funciona bem melhor assistido em casa mesmo. De preferência de madrugada e com a luz apagada.

Mas somando o estilo do filme ao fato de ser uma cópia legendada (algo quase extinto no cinema do Shopping Grande Rio) concluí que não teria tantos bagunceiros, e eu poderia assistí-lo sem maiores problemas.

LEDO ENGANO! (me assusta a frequência que eu repito isso)

A sala lotou de aborrecentes, cada um querendo aparecer mais que o outro, e logo vi que não poderia apreciar o filme como queria. Desencanei então e resolvi aproveitar a experiência para exercitar meu olhar crítico.

O PÚBLICO
Devo dizer que hoje em dia é muito dificil um filme de terror realmente me assustar. Não tinha certeza se o nível do cinema caiu ou se era eu que tinha ficado “cascudo”. A própria série Atividade Paranormal sempre me agradou mais por ser surpreendente que por causar sustos.

Neste dia finalmente pude resolver esta dúvida: em várias partes do filme os engraçadinhos ficavam sem palavras, ou se uniam à gritaria geral, mostrando que eram muito menos “maneiros” do que tanto se esforçavam para mostrar. São situações assim que separam os meninos dos homens.

O FILME
Obviamente foi inferior ao primeiro, seria inocência esperar o contrário, especialmente porque o impacto causado por “Atividade 1″ já passou. Mesmo assim foi um bom filme, decentemente dirigido e deu continuidade ao enredo de seus antecessores satisfatóriamente.

Perto do fim o que eu disse sobre não ser um filme pipoca foi contrariado e o clímax   emocionante levou uma complicada platéia (não por ser exigente, mas por ser difícil de prender sua atenção) a aplaudir de pé.

Foi mais uma experiência inusitada para mim  e talvez tenha sido o “batismo” de algum futuro cinéfilo que estivesse na platéia.

A FRANQUIA
Certamente que o clima de “autenticidade” do primeiro filme já se dissolveu faz tempo, em meio a um storyline com cada vez mais elementos sobrenaturais (que eu não vou comentar para não fazer spoiler).

Mesmo assim a série tem mantido o interesse e conseguido trazer novas surpresas e novos sustos a cada episódio. O final da parte 4 deixou vontade de ver o que acontece na 5, que já tem lancamento marcado para o 2013.

Fica a pergunta: Por quanto tempo eles conseguirão esticar a franquia antes de estragá-la, como aconteceu com Jogos Mortais.

ENFIM
Pode ter sido um erro confiar no público do Shopping Grande Rio, mas desistir do filme e voltar a atenção para a audiência de certa forma salvou a experiência, ou se não salvou pelo menos resultou neste artigo.

Agora é só esperar o filme passar na tv por assinatura para que eu possa, finalmente, assistí-lo de verdade.

Black Friday Tupiniquim

Tags

, , ,

No dia 23 de novembro aconteceu a Black Friday 2012.

O BOM
Black Friday é uma data comercial do calendário estadunidense. Segue-se ao Dia de Ação de Graças, um dos feriados mais importantes para os americanos, marcando o início dos preparativos (e da compra de presentes) para o Natal.

Neste dia a maioria das lojas faz promoção, e os descontos são tão grandes que geram correrias. Muitas empresas dão folga aos funcionários nesta data, até porque ela fica entre um feriado e o fim de semana.

Recentemente muitos países tentaram implantar a sua versão da Black Friday, inclusive o Brasil, onde foi adotada em versão online pelos grandes portais de venda pela internet.

O MAU
Infelizmente, o comércio brasileiro carece de organização, seriedade e até de um pouco de honestidade; vários dos referidos portais foram denunciados por fraudar o evento aumentando os preços na semana anterior.

Mas mesmo quem não chegou a fraudar não escapou de apelar aos velhos subterfúgios do comércio. Veja só a propaganda que recebi por e-mail:
Enganação da Black FridayParece mesmo um grande negócio, até você perceber que onde está escrito TODO SITE tem um minúsculo asterisco que aponta para o fundo da propaganda onde, em letras microscópicas, o anunciante informa que o desconto cobre TODO [o] SITE, EXCETO PRÉ-VENDAS, APPLE, MICROSOFT, KIT DE LAZER, PAPELARIA, E-READER, TABLET E LANÇAMENTOS; ou seja: Tudo em promoção, menos tudo.

O LEGAL
Mais ainda existe esperança. Em meio a tanta propaganda enganosa, minha caixa de e-mails revela uma oferta verdadeiramente vantajosa: o Playstation 3 Ultra Slim, recém lançado, por apenas R$770,00.

Uma rápida pesquisa me informou que era um bom negócio. Efetuei então a compra, que marcou meu retorno ao mundo dos games de console após uma década de ‘aposentadoria’.

Minhas aventuras futuras com o novo brinquedo você fica sabendo aqui.

E fica a expectativa de, já que o evento atraiu tanta atenção popular, que os lojistas brasileiros aprendam a tratar o consumidor com respeito e tenhamos uma verdadeira BLACK FRIDAY em 2013.

Desejo

Tags

, , , , , , , , , , ,

“Quer caiamos por ambição, sangue ou desejo
Como diamantes somos cortados por nosso próprio pó.”
(John Webster)

***

“As pessoas esperam tempo demais pelo amor.
Sou feliz com todos os meus desejos.”
(C. JoyBell C.)

***

“O amor começa com uma imagem;
o desejo com uma sensação.”
(Mason Cooley)

***

“Eu acredito em desejo à primeira vista.
Em atração. Mas não em amor.”
(Simone Elkeles)

***

“Desejo é o que faz querer fazer ‘aquilo’ mesmo quando
vocês não têm nenhuma vontade de ficar juntos.
Amor é o que faz querer ficar junto mesmo quando
vocês não têm nenhuma vontade de fazer ‘aquilo’.”
(Judith Viorst)

***

“A descrição de desejo é simples: duas pessoas descobrem
ser compatíveis, a atração cresce, e o instinto ancestral
de preservar a espécie se manifesta.”
(Nicholas Sparks)

***

“O amor cresce e o desejo se esvai. A razão é que um deriva
de uma união de almas, o outro de uma união de sentidos.”
(William Penn)

***

“Meu desejo é menos depravado que minha razão.”
(Michel de Montaigne )

***

“Eu sei que amor e desejo nem sempre andam com a mesma companhia.”
(Stephenie Meyer)

***

“A paixão do desejo será servida. Ele manda, ele milita, ele tiraniza.”
(Marquês de Sade)

Fontes: Goodreads.com / Brainy Quote

Face Off

Tags

, , ,

QUEM?
Face Off

O QUÊ?
Uma competição onde os participantes são desafiados a transformar modelos em personagens de ficção/fantasia/terror, através de recursos como maquiagem, próteses e pintura corporal. Cada episódio tem um tema e, ao seu fim, um candidato é apontado como ganhador e outro é eliminado.

ONDE?
No canal Syfy.

QUANDO?
Toda segunda, 22h. Com reprises ao longo da semana.

COMO?
O canal está disponível em TVs por assinatura.
Até onde sei, o programa não é exibido em tv aberta.

POR QUÊ?
Face Off é um programa extremamente interessante para qualquer fã do cinema fantástico, pois mostra cada etapa da maquiagem, desde o conceito até o fim, passando pelo planejamento, preparo de acessórios e maquiagem dos modelos.

A terceira temporada está na metade, mas deve ser exibida novamente do início depois que terminarem os episódios inéditos. A quarta temporada começa em janeiro nos Estados Unidos.

Este programa renovou meu respeito pelos profissionais de maquiagem do cinema, um trabalho duro que exige grande criatividade e conhecimento, e se tornou uma de minhas séries favoritas. Quem curte o mesmo tipo de filmes que eu deve gostar. Assista e tire suas próprias conclusões.

Links relevantes:
Página do programa no site nacional do SYFY
Página do programa no site internacional do SYFY

Brinquedo rasgado

Tags

, , ,

A vida é cheia de surpresas.

Nós, em nossa arrogância natural, vivemos tirando conclusões precipitadas baseadas em dados insuficientes e suposições que, ainda que pareçam válidas e racionais, muitas vezes nos induzem ao erro.

Eu, tão metódico e analítico, também caí vítima desta armadilha. Ontem fui surpreendido ao constatar mais um erro de avaliação de minha parte.

Explico:

Em abril relatei um presente que comprei para Mahoney, a rottweiler do meu cunhado. Era um brinquedinho de borracha, que ao apertar fazia barulho.

Ela adorou o agrado, e não o largava por nada, foi aí que cometi o erro. Observando que ela tem uma mandíbula capaz de arrancar um braço humano, concluí que o pedacinho de borracha não ia durar nem 24 horas.

Pois aí está ele, sete meses depois:
image

Pode ser que esteja furado e rasgado, e que não faça mais barulho algum, mas a Mahoney ainda brinca com ele. Surpreendente para mim, já que eu achava que a esta altura não sobraria nem vestígio.

Mas por que o objeto sobreviveu tão além da expectativa? Será que o material era mais resistente do que eu pensava? ou a cachorra que não era tão forte?

Acho que meu equívoco foi subestimar a capacidade do animal de controlar sua própria força. Quisesse a Mahoney destruir o objeto, não teria durado dez segundos.

Acredito agora que, ao morder seu brinquedo, ela o faça de forma diferente da maioria das coisas (que simplesmente destrói) e o preserve sabendo que se o estragar a brincadeira acaba. Conheço humanos incapazes de tal discernimento.

Pode parecer muita informação para se abstrair de fato tão simples, mas como Miyamoto Musashi dizia: “De uma coisa, aprenda mil coisas”.

Hoje aprendi algo sobre a inteligência dos cães, os brinquedos feitos para eles e, mais especificamente, sobre a Mahoney, que toda vez que é citada no LC o post acaba enveredando por devaneios filosóficos.

O tempo dirá quanto mais aprenderei a partir destas coisas novas.

Sim Surreal

Tags

, , ,

Quando relatei minhas impressões do jogo The Sims 3, deixei aberta a possibilidade de transformar minha experiência no jogo em um legado.

Em um Legado você começa com um sim sozinho e sem dinheiro e o acompanha e a seus descendentes ao longo de 10 gerações. Esta modalidade de jogo foi criada pelos próprios usuários na época de The Sims 2. Ela aproveita-se da da hereditariedade introduzida em TS2 e adiciona regras, objetivos e até pontuação ao jogo.

Apesar de me atrair a idéia de jogar um The Sims com início, meio e fim; certas restrições me incomodavam, então resolvi lançar a minha própria versão da brincadeira:

FAMÍLIA SU-REAL:
OBJETIVO:
Me divertir jogando TS3 enquanto gero conteúdo relevante parodiando eventos e personagens postados aqui no blog. Mais me divertir jogando TS3 que gerar conteúdo relevante parodiando eventos e personagens postados aqui no blog.

FUNDADOR: Salvador Su-Real
Ninguém melhor para inaugurar esta empreitada que o mais famoso representante do surrealismo e presença assídua em nossas postagens: Salvador Dali, na forma de seu alter ego Salvador Su-Real. Pena que o jogo não tenha nenhum bigode à altura.

DESEJO DURADOURO: Visionário (Nível 10 em pintura e fotografia)
Eu preferia um desejo duradouro que englobasse pintura, escultura e fotografia; mas como este não existe achei pintura+fotografia mais apropriado que pintura+escultura. De qualquer forma pretendo dominar as três, caso o tempo seja suficiente.

TRAÇOS: artístico, olho de fotógrafo, exímio escultor, esnobe e insano
Artístico, olho de fotógrafo e exímio escultor são para incrementar suas habilidades nos campos da pintura escultura e fotografia. Esnobe o próprio Dali admitia ser e, sobre a insanidade, ele mesmo disse que “A minha única diferença em relação a um homem louco é que eu não sou louco.”

REGRAS:
O fundador da Dinastia Su-Real vai começar sem dinheiro em um lote baldio. Pretendo que cada geração deixe pelo menos um descendente (para existir a geração seguinte), complete o desejo duradouro de todos os seus membros e evite repetição de profissões e desejos duradouros tanto quanto possível. Novas regras podem surgir ou ser alteradas, a improvisação é sempre mais divertida.

CHEATS:
Não pretendo usar qualquer tipo de código, exceto para corrigir os inúmeros defeitos que o jogo vai criando com o tempo. Também usarei um MOD para “corrigir” a progressão de história da Electronic Arts, que é uma droga. Espero que não estrague tudo.

DURAÇÃO:
Tradicionalmente os legados e suas variações duram dez gerações, minha versão vai durar até uma das seguintes condições ocorrer:

  • Eu cansar do jogo
  • Eu cansar do legado
  • O computador der problema e eu perder o save
  • O save estiver com tantos bugs (que vão surgindo normalmente com o tempo) que se torne impraticável continuar.
  • Eu morrer ou ficar incapacitado de usar o computador
  • A “história” chegar a um ponto que possa ser considerada uma conclusão lógica, e eu decida dizer “The End”.

Não se engane, nada é para sempre. Um dia, próximo ou distante, uma ou mais das condições serão atingidas.

FREQUÊNCIA:
Primeiro vou precisar de tempo e vontade para jogar, depois de tempo e paciência para relatar. Estou terminando a faculdade, péssimo timing para um projeto assim.

De qualquer modo, vamos ver no que vai dar. Nos encontraremos em breve com o surgimento de uma nova dinastia.

Orgulho

Tags

, , , , , , , , , , ,

 

“Os infinitamente pequenos têm um orgulho infinitamente grande.”
(Voltaire)

***

“Há muitas vezes mais orgulho do que piedade quando
lamentamos as desgraças dos nossos inimigos.”
(François La Rochefoucauld)

***

“A pessoa orgulhosa pode aprender a ser humilde,
mas terá orgulho da humildade.”
(Mignon McLaughlin)

***

“O orgulho sem que nada o justifique conduz irremediavelmente
ao fracasso. Os indivíduos tornam-se como bolas cheias
de vento, rebentam aos primeiro embate”
(Benjamin Franklin)

***

“Você não precisa se tornar famoso. Você só precisa
fazer com que seus pais tenham orgulho de você.”
(Meryl Streep)

***

“A falsa humildade é puro orgulho.”
(Blaise Pascal)

***

“Tudo é orgulho e inconsciência. Tudo é querer
mexer-se, fazer cousas, deixar rastro.”
(Fernando Pessoa)

***

“O orgulho é igual à humildade: é sempre mentira.”
(Georges Bataille)

***

“O silêncio é por vezes o maior orgulho que se pode mostrar.”
(Bjornstjerne Bjornson)

***

“Orgulho não é grandeza, mas inchaço. E o que
está inchado parece grande, mas não é sadio.”
(Santo Agostinho)

 Fonte: Pensador.info

Game of Thrones VS The Walking Dead

Tags

, , , , , , , ,

Este mês (terça-feira, 16) começou a terceira temporada de The Walking Dead. Ainda é muito cedo para tecer comentários, até porque eu indiquei a segunda temporada e nunca mais a mencionei.

Mais ou menos o mesmo que aconteceu com outra de minha séries favoritas, Game of Thrones, sendo que esta só voltará a ser vista no fim de março de 2013.

Para corrigir tantas injustiças e matar dois zumbis com uma cajadada só, aproveito e faço uma comparação: Qual destas produções teve a melhor segunda temporada?

Lembrando que eu não almejo passar por dono da verdade, tratam-se de minhas opiniões sobre minhas séries favoritas, baseadas em meus próprios critérios. Não se ofenda se discordar de algo e sinta-se livre para dar sua própria opinião.

Duelo de Segundas Temporadas: 

RITMO
Um bom ritmo é essencial para manter a atenção do público. Se isso é verdade até para um filme de 90 minutos, mais ainda para um programa que tem a ambição de fazer a audiência voltar semana após semana.

The Walking Dead sofreu muitas críticas ao ficar estagnado por seis episódios no arco da menininha desaparecida, mas depois de um surpreendente final do sexto episódio, entrou em hiato e voltou bem mais dinâmico.

Já a equipe da HBO cortou um dobrado para resumir as mais de setecentas páginas de A Clash of Kings para os dez episódios de Game of Thrones, mas em compensação algo sempre está acontecendo em algum lugar de Westeros.

A turma dos matadores de zumbis perde essa porque, mesmo dispondo de três episódios a mais, apresentou conteúdo de menos.
VENCEDOR: Game of Thrones

ADAPTAÇÃO
Ambas as obras, por serem televisivas, sofrem com fatores como censura e limites de orçamento. Qual terá obtido resultado mais satisfatório?

Em The Walking Dead os eventos e personagens originais podem ou não estar presentes, ou aparecer (e morrer) em outro ponto da cronologia ou de forma diferente. Tal liberdade pode ser algo bom ou não, depende do ponto de vista.

A proposta de Game of Thrones é bem mais fiel, mas em certos momentos sua produção é forçada, por motivos técnicos ou financeiros, a fazer pequenas alterações, o que gera a ira dos fãs mais puritanos.

Enquanto a saga dos filhos de Ned Stark sofre com o efeito Lord of the Rings de fãs que se ofendem com a mínima mudança, The Walking Dead vence por, às vezes, surpreender até mesmo os fãs da história em quadrinhos. VENCEDOR: The Walking Dead

PRODUÇÃO
Não adianta ter uma boa idéia para uma série se você não tiver onde exibí-la. Pior: você pode conseguir e sofrer restrições criativas e financeiras, trata-se da realidade dos bastidores da tv americana.

Neste quesito The Walking Dead não teve sorte. Apesar de ter batido recordes de audiência nos Estados Unidos,  sofreu tantas interferências da emissora AMC que causou a saída de Frank Darabont, o criador da série.

Game of Thrones foi abençoada com uma das melhores casas momento. As produções da HBO não só dispõe de mais recursos que os outros, como ainda desfrutam de uma liberdade impossível na TV aberta.

Estes cortes, que se fazem notar na pobreza dos efeitos de seu último episódio, tiram um valor da produção de The Walking Dead que foi característica de sua primeira temporada.
VENCEDOR: Game of Thrones

MOMENTOS MARCANTES
De certa forma pode-se medir uma grande obra televisiva por sua quantidade de grandes momentos. Cenas icônicas que ficam marcadas para sempre na mente de seu público. Ambas as candidatas foram prolíficas neste ponto.

The Walking Dead tem muita morte e violência, mas o ponto alto da temporada foi o episódio Judge, Jury, Executioner onde os personagens debatem sobre libertar ou executar um prisioneiro humano (não-zumbi).

Em Game of Thrones o foco constantemente muda de local, exceto em Blackwater, o melhor episódio da temporada onde Tyrion (Peter Dinklage), com um desesperado discurso, inspira o exército real e impede a queda da capital.

Discurso por discurso, o mais relevante e que mais nos faz refletir sobre nossa própria realidade é o de Dale  (Jeffrey DeMunn) em The Walking Dead. VENCEDOR: The Walking Dead

ELENCO
É claro que não adianta ter os diálogos mais inteligentes e as situações mais emocionantes se a interpretação dos atores não fizer jus, são eles que nos permitem identificar com os personagens.

Pode ser até injusta a comparação, levando-se em consideração a maior quantidade de atores envolvidos na fantasia medieval, mas é inegável que a constelação de Game of Thrones tem muito mais estrelas por metro quadrado.

Peter Dinklage (Tyrion), Lena Headey (Cercei), Jack Gleeson (Joffrey), Charles Dance (Tywin), Emilia Clarke (Daenerys); alguns destaques do elenco primoroso da produção da HBO.

Para The Walking Dead ainda fica a nota triste de ter perdido Jeffrey DeMunn (Dale), um dos destaques da segunda temporada que pediu para sair em protesto à demissão do diretor Darabont.
VENCEDOR: Game of Thrones

RESULTADO FINAL
Ponto por ponto a segunda temporada de Game of Thrones mostrou-se muito mais memorável, embora The Walking Dead não tenha deixado de ser excelente.

Com a estréia da terceira temporada fica a pergunta: Será que o que restou da equipe será capaz de manter o nível ou a AMC conseguirá estragar o maior sucesso de sua história? O futuro dirá.
MELHOR SEGUNDA TEMPORADA: Game of Thrones

 

 

Sangue Bom

Tags

, , , , , , , , , , , , ,

O dia 9 de outubro foi sangrento.

Tudo começou quando fomos informados no trabalho que nosso camarada Hidalgo, o historiador fidalgo, faria uma cirurgia e precisava de quatro doadores de sangue. Eu e mais três colegas prontamente nos oferecemos para esta jornada, que iníciava em Nova Iguaçu-RJ e terminava na Gávea, bairro da Zona Sul da Cidade do Rio de Janeiro.

Quem é do Rio já perebeu só de ler o parágrafo acima quem seria o grande inimigo desta diligência: o trânsito. Como não era tarefa minha dirigir o carro, encontrei meu próprio modo de  ludibriar o vilão; maior parte do tempo que gastamos pulando de uma via engarrafada para outra eu passei dormindo.

Chegando próximo a nosso destino eu “acordei” e me deparei com uma turma meio perdida; nenhum de nós conhecia bem a área, e o trânsito mais uma vez não colaborava. Quem nos salvou foi o gps do meu celular, que nos guiou ao local correto indicando distância, tempo de percurso e melhores caminhos.

A coleta em si foi bem rápida, em pouco mais de meia hora estava tudo resolvido. A maquininha encheu uma bolsa com o meu  sangue, cuja perda logo comecei a repor atacando o sanduíche com suco que me deram na cantina ao lado. Finda a tarefa, me vi com o resto do dia livre; ao doar sangue o trabalhador fica, por lei, dispensado do serviço para o resto do dia.

Estávamos nos últimos dias do Festival do Rio, e o Shopping da Gávea, que participa do festival, fica bem atrás do hospital. Me despedi da turma e fui sozinho ao shopping conferir o que estava em cartaz. Aproveitei e dei uma passada no Bob’s para repor os níveis sanguíneios de mostarda e ketchup.

Os filmes no cinema do shopping não me interessaram tanto, mas eu peguei uma revista do evento com todas as sinopses e endereço dos estabelecimentos participantes. Dentre o que estava disponível, decidi assistir Fog – A Bruma Assassina (John Carpenter, 1980), que estava em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil.

Para chegar lá peguei um ônibus que para um turista teria sido um sonho, ele fez “excursão” por todos os bairros da Zona Sul, me deixando em nossa velha conhecida Praça XV onde, entre outras coisas, se localiza o CCBB.

Antes do filme problemas de sistema que impediam a venda de ingressos causaram uma pequena espera. Aproveitei a oportunidade para enriquecer a composição de meu sangue com refrigerante e conhecer a lojinha de suvenires local. Resolvido o problema, paguei meus R$6,00 e fui para a sala.

Quem recolhia os ingressos era um homem de terno e gravata que também assistia a exibição numa cadeira destacada, tipo um lanterninha, só que mais bem vestido. Me pergunto quanto um indivíduo desses deve ganhar e se é trabalho concursado. Eu prestaria concurso para trabalhar assistindo filmes e ainda andar na rua com pinta de businessman.

A sala tem capacidade para 100 pessoas. Um número razoável de espectadores compareceu, umas quinze a vinte pessoas. Destaque para uma senhora muito idosa, provavelmente mais de noventa anos; me pergunto se ela sabia o que estava prestes a assistir. Será que a vovó curte mesmo filmes sanguinolentos? Acho que nunca saberei.

Sou fã do trabalho de John Carpenter, e seu O Enigma do Outro Mundo (The Thing, 1982) foi meu filme favorito por muitos anos, e deve ter sido o que mais vezes assisti na vida. Também gostei muito de Eles Vivem (They Live, 1988), Aventureiros do Bairro Proibido (Big Trouble in Little China, 1986) e Fuga de Nova York (Escape from New York, 1981). O diretor também é conhecido por Halloween (Idem, 1978).

Bruma Assassina não é um dos melhores filmes de Carpenter, mas não deixa de ser interessante. No começo pareceu que ia ser chato, mas foi melhorando e, perto do clímax, prendeu bem a atenção. Pena ser um daqueles filmes com “final surpresa” forçado. Acredito que era moda na época, uma quebra do paradigma do “final feliz” que imperava antes. Pelo que soube o diretor, após terminado o filme, ficou insatisfeito com o resultado final e refilmou um terço da película, alterando a história e incluíndo mais sangue.

O ponto fraco ficou mais pela cópia do filme utilizada, cheia de defeitos e até com pedaços (de segundos, espero) do filme perdidos. A letra da legenda também era bem ruim. Me pergunto se era um original que ficou mofando por mais de trinta anos e foi desencalhado por conta do festival.

Após o filme peguei um ônibus para casa na Praça XV mesmo, o que concluiu mais uma aventura e mais um festival. Espero participar mais de sua versão 2013, quem sabe não aproveito e combino com outra doação de sangue?

Justiça Metafórica

Tags

, , , , , , ,

Abaixo algumas obras de Vladimir Kush. Clique para ampliar:

O surgimento da internet foi uma maravilha para a comunicação de forma geral. Informações antes encerradas em livros ou propagadas apenas por jornais e televisão tornaram-se acessíveis a um público bem maior, de forma mais democrática e muito, muito mais rápido do que Gutemberg ousaria sonhar.

O problema é que a internet, ao facilitar o tráfego da informação, faz o mesmo pela desinformação.

Eu explico:

Boa parte do que se lê na online não é verdade. Muitos boatos e brincadeiras de gostos variáveis convivem com verdadeiros golpes que  aproveitam-se da credulidade dos internautas, a quem muitas vezes falta o mínimo de bom senso.

É neste ambiente de veracidade duvidosa que se desenvolveu o costume de, ao se compartilhar textos ou imagens criados por pessoas anônimas ou não tão famosas, atribuí-los a alguém mais conhecido para se dar um ar de maior importância a tais obras.

Se você é fã de encaminhamento de-mails não se iluda: quase todas aquelas estórias de auto-ajuda e dramas hospitalares são mentira, e boa parte daquelas poesias e imagens bonitas não foram feitas pelos autores a quem são atribuídas. Acontece que é muito maior a chance de você ler um texto se achar que foi escrito por William Shakespeare do que se souber que pertence a uma tal de Veronica Shoffstall, de quem você nunca ouviu falar.

Outra vítima deste costume é Vladimir Kush, pintor russo adepto do surrealismo (ou, como ele prefere se referir, realismo metafórico). Chegou a ganhar a vida fazendo cartuns e desenhando as pessoas na rua, mas galgou os degraus da fama ao longo dos anos e em 2011 foi agraciado com o primeiro prêmio na categoria pintura da exibição internacional Artistes du Monde emCannes.

Apesar disso seu nome ainda não é conhecido do grande público, e na hora de compartilhar suas belas pinturas muitos espertinhos, querendo chamar mais atenção, acabam dizendo que são de Salvador Dali, um artista com estilo semelhante (admitidamente uma das influências de Kush) e obviamente muito mais conhecido do público.

Então, graças a blogueiros querendo atrair mais hits e encaminhadores de email com medo que não abram seus preciosos powerpoints, hoje em dia muitas das obras de Kush aparecem nas buscas sobre Dali, além de serem creditadas ao pintor espanhol ao longo da internet.

Eu mesmo fui vítima desta desinformação. Durante muito tempo também fui levado a acreditar que as obras do russo eram de Dali. Ao descobrir a verdade senti a necessidade de pesquisar e publicar este artigo de esclarecimento. простите, Vladimir. Agora eu não erro mais.

Conheça o site do artista: http://vladimirkush.com/

Soldado

Tags

, , , , , , , , , , ,

“Apreciar a guerra é um mérito no soldado,
uma qualidade perigosa no comandante,
e definitivamente um crime no estadista.”
(George Santayana)

***

“A maior virtude de um soldado é suportar a fadiga;
coragem é apenas a segunda maior virtude.”
(Napoleão Bonaparte)

***

“Todo soldado pensa a respeito do aspecto moral daquilo
que está fazendo. Mas toda guerra é imoral e se você deixar
isso te afetar então você não é um bom soldado.”
(Curtis LeMay)

***

“Qualquer um que já tenha visto os olhos vidrados
de um soldado morrendo no campo de batalha
pensará duas vezes antes de começar uma guerra.”
(Otto von Bismarck)

***

“O soldado reza pela paz mais que qualquer um, pois é o soldado que
deve sofrer e carregar as maiores feridas e cicatrizes da guerra.”
(Douglas MacArthur)

***

“Todo cidadão deveria ser um soldado. Era assim com gregos
e romanos e deve ser assim em qualquer Estado livre.”
(Thomas Jefferson)

***

“Um guerreiro é livre para bancar o herói
e ousar, o soldado é irresponsável se o fizer. ”
(C. J. Cherryh)

***

“O maior inimigo de um soldado não é o soldado
opositor, mas seu próprio comandante.”
(Ramman Kenoun)

***

“É necessária uma certa dose de estupidez
para se fazer um bom soldado.”
(Florence Nightingale)

***

“Crianças brincam de soldado. Faz sentido.
Mas por que soldados brincam de criança?”
(Karl Kraus)

 

Fonte: Brainy Quote

Simulando a vida

Tags

, , , ,

No meu Top 10 de Games, onde relaciono os jogos de console e computador que mais me influenciaram ao longo da vida, menciono que em determinado momento gastei muitas horas com The Sims (Maxis, 2000) um dos poucos jogos de PC que ousei experimentar.

The Sims 1: Se fingindo de 3D

Nada contra os jogos desta plataforma, acontece que sempre instalei o mínimo de programas possível nos computadores que tive, pois quanto mais softwares se instala em um PC, menor o desempenho. Além disso games consomem muitos recursos e requerem upgrades constantes para rodar os jogos mais modernos.

Acontece que The Sims me encantou por não ser um jogo tão pesado em sua época, além de ter infinitas possibilidades de customização. Podia-se encontrar online qualquer personalidade real ou fictícia para baixar, que depois virava mais um personagem do pequeno mundo controlado por mim.

E não podemos esquecer as expansões, verdadeiros “remendos” que você comprava e instalava em seu jogo para acrescentar novos elementos ao gameplay. Eu tive todas menos a última: Num Passe de Mágica, que adicionava magia ao mundo de The Sims 1.

Logo depois a Electronic Arts lançou The Sims 2, uma versão que não só tinha melhores gráficos, mas várias melhorias como os Sims envelhecerem naturalmente e até morrerem de velhos, simulação de genética na geração de bebês de Sims, entre outros.

The Sims 2: Verdadeiro 3D

Eu nunca joguei The Sims 2, não rodaria no meu computador da época, e mesmo quando tive um computador melhor não estava pensando muito nisso. Foi só depois de escrever o Top 10 Games para este blog que resolvi me informar sobre The Sims 3, e gostei tanto que comprei.

Por ter perdido o segundo da série, fica difícil fazer uma comparação entre TS1 e TS3, pois quase uma década os separa e não sei ao certo quais mudanças vieram de TS2 e quais vieram de TS3. Me limitarei então a apontar o que foi novidade para mim:

A Maxis não está mais envolvida, o desenvolvimento agora está com o The Sims Studio, subsidiária da Electronic Arts montada com sabe-se lá quantos membros do time que trabalhou no jogo original, mas sem contar com a participação de Will Wright, criador da série.

Os gráficos agora são 100% 3D, abandonando a combinação de 2D e 3D que tornava tão fácil editar os personagens do TS1 (que eram polígonos “vestidos” por bitmaps que você podia editar no Photoshop). Fazer seus Sim baseado em celebridades agora requer um pouco mais de talento.

The Sims 3: Qualidade gráfica aprimorada

As expansões ainda existem, e a cada geração são mais numerosas: 7 para TS1, 8 para TS2 e 7 (até o momento) para TS3. Com TS2 surgiram também as “Coleções de Objetos“, 8 para TS2 e 7 (até agora) para TS3. Estas contém  itens temáticos, sem acrescentar novos elementos ao jogo.

Por fim, o fator mais impactante: a forma de comercialização. Nada mais de acumular um monte de CDs, pode-se comprar tudo na própria webstore da EA. É só baixar e instalar, basta ter uma conexão razoável. Ainda se livra da inconveniência de ter de se deixar o disco do jogo rodando na unidade de CD.

Em breve darei mais detalhes sobre minha experiência com o jogo. Quem sabe até não publico as histórias de meus Sims aqui no blog? Elas têm todo o potencial de ser tanto ou até mais surreais que as minhas próprias.

Top 10 Posts – Ano I

Tags

Sei que estou um pouco atrasado, pois o Lógica Circular completou um ano em Julho. Mesmo assim resolvi publicar a relação dos artigos mais lidos em seu primeiro ano de vida.

A estatística não é 100% confiável, pois a maioria dos hits foram para a primeira página ou para tags e categorias, ou seja: eu sei que estas pessoas leram um ou mais artigos, mas não quais.

Não sei se são exatamente meus melhores posts, ou sequer se são bons, mas algum mérito devem ter para terem se destacado. Segue a lista:

Marquês de Pubol 7,071
Zen 3,266
Youtube: Modo de Usar 2,556
Pirâmides e Alienígenas 2,184
Grudadas na Memória 1,925
E se você fosse o PANDA? 1,729
Iniciativa Vingadores 1,289
Heterônimos 466
Flores do Pântano 366
Mutante Alienígena Parasitário Apocalíptico 249

Informações assim podem parecer inúteis a princípio, mas são extremamente valiosas para conhecer quem é o público do blog e o que procura.

O primeiro lugar, por exemplo, é uma grande surpresa. Não sabia que as frases de Salvador Dali geravam tanto interesse, mais até que as coletâneas de citações de pensadores ilustradas por suas pinturas.

Os demais são de temas e estilos tão variados que fica difícil tirar conclusões. Parece que a política para o segundo ano será a mesma: falar de qualquer coisa que me interesse, da forma que mandar a inspiração.

Fica então a curiosidade de saber o que dirá a avaliação do próximo ano. Que tipo de post fará mais sucesso? Será que algum post fará sucesso? Isso tudo só o futuro dirá… se eu tiver o suficiente a dizer para o LC sobreviver até lá.

1ª Divisão

Tags

, , , , , , , , , ,

O Audax Rio de Janeiro Esporte Clube foi fundado em São João de Meriti em 8 de maio de 2005. Na época chamava-se Sendas Esporte Clube, mesmo nome da grande rede de supermercados originária da cidade e que havia sido incorporada ao Grupo Pão de Açúcar dois anos antes.

O time não demorou para obter resultados, vencendo a Série C do Campeonato Carioca (2007) e uma Taça Rio (2010). Esta última lhe valeu ingresso para a disputa da série D do Campeonato Brasileiro em 2011, primeira competição disputada com o novo nome.

No início de 2011, o Grupo Pão de Açúcar resolveu descontinuar a marca Sendas e todas as filiais mudaram o nome para Extra. Com o time de futebol não foi diferente e o nome foi mudado Audax-RJ, enquanto o Pão de Açúcar, time paulista também pertencente ao Grupo, tornou-se Audax-SP.

Seja como Sendas ou Audax, o time em seus sete anos de existência venceu várias competições tanto no profissional quanto nas categorias de base, colocando São João de Meriti no mapa do futebol brasileiro pela primeira vez em sua história.

O mais recente capítulo desta história de sucesso foi escrito em 28 de julho deste ano, quando o Audax derrotou por 4×1 o São João da Barra e confirmou o segundo lugar que garantiu seu acesso à 1ª divisão do Campeonato Carioca. O título ficou com o Quissamã, time da cidade homônima.

A competição foi uma maratona de quarenta jogos divididos em duas fases onde, mesmo tendo enfrentado times de tradição centenária no cenário carioca, o Audax obteve o expressivo resultado final de 21 vitórias, 10 empates e 9 derrotas.

Parabéns ao Audax-RJ por mais esta conquista. Esperamos que continue sua ascensão no cenário futebolístico enquanto mantém suas ações sociais para melhorar a vida dos jovens aspirantes a craque da Baixada Fluminense. Estaremos torcendo.

E que tenhamos muitos motivos para voltar a mencioná-lo neste blog em 2013.

Referências:
Página oficial do Audax-RJ
Audax-RJ na Wikipedia
Sendas na Wikipedia
Campeonato Carioca Série B 2012
O jogo decisivo