Tags

, , , , , , , ,

Este mês (terça-feira, 16) começou a terceira temporada de The Walking Dead. Ainda é muito cedo para tecer comentários, até porque eu indiquei a segunda temporada e nunca mais a mencionei.

Mais ou menos o mesmo que aconteceu com outra de minha séries favoritas, Game of Thrones, sendo que esta só voltará a ser vista no fim de março de 2013.

Para corrigir tantas injustiças e matar dois zumbis com uma cajadada só, aproveito e faço uma comparação: Qual destas produções teve a melhor segunda temporada?

Lembrando que eu não almejo passar por dono da verdade, tratam-se de minhas opiniões sobre minhas séries favoritas, baseadas em meus próprios critérios. Não se ofenda se discordar de algo e sinta-se livre para dar sua própria opinião.

Duelo de Segundas Temporadas: 

RITMO
Um bom ritmo é essencial para manter a atenção do público. Se isso é verdade até para um filme de 90 minutos, mais ainda para um programa que tem a ambição de fazer a audiência voltar semana após semana.

The Walking Dead sofreu muitas críticas ao ficar estagnado por seis episódios no arco da menininha desaparecida, mas depois de um surpreendente final do sexto episódio, entrou em hiato e voltou bem mais dinâmico.

Já a equipe da HBO cortou um dobrado para resumir as mais de setecentas páginas de A Clash of Kings para os dez episódios de Game of Thrones, mas em compensação algo sempre está acontecendo em algum lugar de Westeros.

A turma dos matadores de zumbis perde essa porque, mesmo dispondo de três episódios a mais, apresentou conteúdo de menos.
VENCEDOR: Game of Thrones

ADAPTAÇÃO
Ambas as obras, por serem televisivas, sofrem com fatores como censura e limites de orçamento. Qual terá obtido resultado mais satisfatório?

Em The Walking Dead os eventos e personagens originais podem ou não estar presentes, ou aparecer (e morrer) em outro ponto da cronologia ou de forma diferente. Tal liberdade pode ser algo bom ou não, depende do ponto de vista.

A proposta de Game of Thrones é bem mais fiel, mas em certos momentos sua produção é forçada, por motivos técnicos ou financeiros, a fazer pequenas alterações, o que gera a ira dos fãs mais puritanos.

Enquanto a saga dos filhos de Ned Stark sofre com o efeito Lord of the Rings de fãs que se ofendem com a mínima mudança, The Walking Dead vence por, às vezes, surpreender até mesmo os fãs da história em quadrinhos. VENCEDOR: The Walking Dead

PRODUÇÃO
Não adianta ter uma boa idéia para uma série se você não tiver onde exibí-la. Pior: você pode conseguir e sofrer restrições criativas e financeiras, trata-se da realidade dos bastidores da tv americana.

Neste quesito The Walking Dead não teve sorte. Apesar de ter batido recordes de audiência nos Estados Unidos,  sofreu tantas interferências da emissora AMC que causou a saída de Frank Darabont, o criador da série.

Game of Thrones foi abençoada com uma das melhores casas momento. As produções da HBO não só dispõe de mais recursos que os outros, como ainda desfrutam de uma liberdade impossível na TV aberta.

Estes cortes, que se fazem notar na pobreza dos efeitos de seu último episódio, tiram um valor da produção de The Walking Dead que foi característica de sua primeira temporada.
VENCEDOR: Game of Thrones

MOMENTOS MARCANTES
De certa forma pode-se medir uma grande obra televisiva por sua quantidade de grandes momentos. Cenas icônicas que ficam marcadas para sempre na mente de seu público. Ambas as candidatas foram prolíficas neste ponto.

The Walking Dead tem muita morte e violência, mas o ponto alto da temporada foi o episódio Judge, Jury, Executioner onde os personagens debatem sobre libertar ou executar um prisioneiro humano (não-zumbi).

Em Game of Thrones o foco constantemente muda de local, exceto em Blackwater, o melhor episódio da temporada onde Tyrion (Peter Dinklage), com um desesperado discurso, inspira o exército real e impede a queda da capital.

Discurso por discurso, o mais relevante e que mais nos faz refletir sobre nossa própria realidade é o de Dale  (Jeffrey DeMunn) em The Walking Dead. VENCEDOR: The Walking Dead

ELENCO
É claro que não adianta ter os diálogos mais inteligentes e as situações mais emocionantes se a interpretação dos atores não fizer jus, são eles que nos permitem identificar com os personagens.

Pode ser até injusta a comparação, levando-se em consideração a maior quantidade de atores envolvidos na fantasia medieval, mas é inegável que a constelação de Game of Thrones tem muito mais estrelas por metro quadrado.

Peter Dinklage (Tyrion), Lena Headey (Cercei), Jack Gleeson (Joffrey), Charles Dance (Tywin), Emilia Clarke (Daenerys); alguns destaques do elenco primoroso da produção da HBO.

Para The Walking Dead ainda fica a nota triste de ter perdido Jeffrey DeMunn (Dale), um dos destaques da segunda temporada que pediu para sair em protesto à demissão do diretor Darabont.
VENCEDOR: Game of Thrones

RESULTADO FINAL
Ponto por ponto a segunda temporada de Game of Thrones mostrou-se muito mais memorável, embora The Walking Dead não tenha deixado de ser excelente.

Com a estréia da terceira temporada fica a pergunta: Será que o que restou da equipe será capaz de manter o nível ou a AMC conseguirá estragar o maior sucesso de sua história? O futuro dirá.
MELHOR SEGUNDA TEMPORADA: Game of Thrones

 

 

Advertisements