Tags

, , , , , , , , , , , , , , , ,

Eu demorei, mas não abandonei meu checkup geral. Também, depois de fazer exame de sangue, M.A.P.A., ecocardiograma e ultrassonografia seria no mínimo uma imbecilidade desistir agora e desperdiçar todo o sacrifício feito até aqui. Me apresento então numa clínica para fazer o tal do teste ergométrico.

Andar numa esteira rolante para medir a pressão arterial durante o esforço físico? Moleza! Apesar de estar bem fora de forma eu sou acostumado a andar muito na rua, então pensei que um teste na esteira seria fácil. Afinal, o que poderia dar errado em um teste onde você fica andando sem sair do lugar?

Na preparação para o exame, o baque: era necessário afixar vários eletrodos a meu tórax, e para isso a área de contato precisaria estar livre de pelos. Livre de PELOS? Uepa! Não que eu tenha apego especial pelas hastes de queratina, mas temo pela mudança que sua ausência possa causar em meu visual.

Desde cedo eu sempre fui prolífico na área dos pelos corporais, no segundo grau chegaram a dizer que eu tinha uma plantação de maconha nas pernas! Será que ainda parecerei comigo mesmo depois desta mutilação? Pior: Será que ainda serei eu mesmo DE FATO quando tudo houver terminado?

Mas minhas divagações filosóficas cabeludas são interrompidas por uma enfermeira portando uma lâmina de barbear. Manejando com perícia o prestobarba amarelo  ela abre nove clareiras circulares em meu peito, tal qual os sinais que alguma raça alienígena deixou em um filme do M. Night Shayamalan.

De short, camiseta e tênis eu procedo para a esteira. Enquanto a médica coloca os eletrodos eu brinco que pareço o Virgem de 40 anos, e ela me ignora solenemente. Não sei se foi por não entender a piada (vai ver estava muito ocupada estudando medicina e não viu o filme) ou por ouví-la o tempo todo (a maioria dos homens que passa por isso deve fazer o mesmo gracejo). Ela avisa que a velocidade vai aumentar gradativamente e quando eu não aguentar mais é só avisar. Vamos ver no que vai dar:

Começa o exame:

1º minuto:
Mais pareceu um passeio. Enquanto caminhava me perguntava quanto tempo isso ia durar e que hora ia almoçar. Esperava que o processo todo durasse menos de uma hora porque eu ainda tinha de achar onde comer.

2º minuto:
A velocidade aumenta e pareço estar marchando. Me trouxe lembranças de quando eu tinha dezoito anos e prestei serviço militar. Melhores as lembranças dos dezoito anos que as do serviço militar.

3º minuto:
Agora eu já estava correndo. Eu prefiro caminhar a correr, mas como estamos aqui pra isso vamos levar a sério. Só espero que não fique muito mais rápido senão talvez eu não dure tanto quanto estava planejando.

4º minuto:
Santo Zequinha Barbosa, Batman! Eu agora já estou correndo que nem um atleta. Será que ainda dá tempo de me classificar para as olimpíadas? Começo a pensar que se eu durar 30 minutos vai estar de bom tamanho.

5º minuto:
Classificar para as olimpíadas? Está parecendo mais que eu já estou disputando uma. Será que além da pressão a médica está cronometrando meu tempo também? Usain Bolt que se cuide, Marcos Paulo está chegando!

6º minuto:
Pera aí, vale isso? Agora a esteira faz uma inclinação e parece que eu estou subindo um morro, melhor esse exame não durar mais de quinze minutos senão eu é que morro! Dou adeus para o meu sonho olímpico.

7º minuto:
Agora estou correndo pra valer! E a inclinação é tanta que estou praticamente subindo pela parede. Acho melhor abandonar minha carreira de corredor e virar super herói. Já escolheram o Homem Aranha do novo filme?

Antes do oitavo minuto eu não aguento mais e desisto. Atleta e ator: duas carreiras que abracei e abandonei em menos de dez minutos. Isso sim é algo que merece entrar para o livro dos records. Pelo menos agora eu tenho direito a um bom banho para recobrar as minhas forças.

Vou embora com a música tema do filme Carruagens de Fogo tocando em minha cabeça e pensando quanto tempo vai demorar pra esses pelos nascerem denovo e voltarem ao tamanho normal. Se fizer um esforço de imaginação e ‘ligar os pontos’ da até para ver o desenho de uma carinha sorridente.

Bem, feitos todos os exames eu já posso ir no médico. Em breve a conclusão (ou não) de minhas aventuras pelo universo dos exames médicos.